• Adaptação do modelo epidemiológico COVID-19 da empresa americana Isee Systems.

  • Modelagem da capacidade do sistema público de saúde do RJ com dados do SUS*.

  • Estudo dos mecanismos causais envolvendo adensamento urbano excessivo e condições de higiene.

 

*O Modelo foi construído utilizando a abordagem da Dinâmica de Sistemas. É uma abordagem da ciência que investiga como os relacionamentos entre as partes de um sistema dão origem a seus comportamentos coletivos e como o sistema interage e forma relacionamentos com seu ambiente.

O que fizemos?

* Exige Login da Isee

7

Dimensões

O simulador foi modelado com foco específico em sete dimensões

Remoção temporária de moradores de favela para espaços públicos

Remoção temporária de moradores de favela para hotelaria

Subsídio a insumos de higienes

Renda básica para compra de produtos de higiene

Estruturar emergenciais de saneamento

Expansão da disponibilidade de UTI (leitos/dia)

Uso de máscaras de proteção facial.

Esta última tem um dos maiores efeitos isoladamente (e é potencializada na combinação com demais medidas).

Principais premissas do modelo

Realização

Dinâmica de

Sistemas Brasil

O Simulador é um mecanismo onde as pessoas vão poder ver o impacto de diferentes políticas em termos de disponibilidade hospitalar para a população de baixa renda, no contexto da epidemia do coronavírus.

SimuladorFavelas

ContraOCoronavírus